VILHENA – Alunos cegos de escola municipal usam novas tecnologias no processo de aprendizagem

43

Softwares, impressoras braile, jogos e atividades educacionais especializadas serão implementadas

Para melhorar a aprendizagem de Matemática por estudantes cegos no Colégio Cívico Militar Almirante Tamandaré, da Prefeitura de Vilhena, será implementado método inovador de ensino com uso de softwares, impressoras braile, jogos e atividades lúdicas especializadas. A iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (Semed) é fruto de parceria com o reconhecido professor do Centro Educacional de Rolim de Moura, Nelson das Neves, referência em Rondônia pela atuação no Atendimento Educacional Especializado (AEE) para pessoas com deficiência visual.

Neves já está capacitando os professores regulares, além daqueles lotados no setor de AEE. As atividades tiveram início na última quarta-feira, 23, e seguem até esta sexta-feira, 25, com orientações prestadas, inclusive, aos dois estudantes matriculados no 8º e 9º anos do ensino fundamental.

Um dos métodos utilizados por Nelson das Neves, que atua no atendimento especial desde o final dos anos 1980, é o Soroban, prática reconhecida pelo Ministério da Educação como abordagem pedagógica para o ensino da matemática aos estudantes não videntes. Serão utilizados jogos e brincadeiras, instalação de softwares, impressoras de braile, assessoria sobre a alfabetização em braile e capacitação sobre a aplicação do método em sala.

“Está sendo bem produtivo o trabalho com os alunos cegos aqui da escola. Eles receberam, inclusive, informações que não tinham sobre a própria deficiência visual, além de aprenderem a usar a tecnologia”, destacou Nelson.

O professor, que também é cego, assegurou estar feliz em colaborar com os alunos cegos de Vilhena, enfatizando a pouca quantidade de profissionais capacitados na área.

Na avaliação da Gerente Pedagógica de Educação Especial da Semed, Rosania Lucas, a iniciativa prepara os estudantes não só para escola, mas para toda a vida. “Esse projeto clareia os caminhos que vamos trilhar a partir de agora, na compra de materiais, softwares e aplicativos que possam ser trabalhados junto com as crianças. É mais qualidade de vida para estes alunos e perspectiva de futuro”, declarou Rosania, satisfeita.

Marciel Lira, um dos estudantes beneficiados, notou diferença positiva no aprendizado. “Pra mim vai facilitar muito, pois tem coisas que estou aprendendo agora com a visita dele que antes não aprendi. Vamos aprender muito mais”, disse, também com alegria.

AEE em Vilhena – Nas 29 escolas da Prefeitura de Vilhena há 24 salas de Atendimento Especializado, que suprem toda a demanda, com 39 professores específicos para o setor, sendo três no Almirante Tamandaré.

Nestas salas são atendidos quatro estudantes com cegueira, bem como crianças e adolescentes com outras diversas necessidades especiais, somando cerca de 500 estudantes nesta categoria em 2022, aumento de 17% em relação ao ano passado.