Vasco destrava negociações, ganha moral no mercado e encaminha reforços a duas semanas da Série B

48

Em conversas avançadas por Carlos de Pena e Zé Vitor e prestes a anunciar Erick, clube ainda vai atrás de outros quatro nomes para dar opções ao elenco de Zé Ricardo. 777 Partners tem ajudado

Muitas análises, telefonemas e rodas de negociação marcaram os últimos dias de trabalho do grupo responsável por reforçar o Vasco para a disputa da Série B do Brasileirão, o objetivo mais importante da temporada 2022.

Depois da visita dos empresários da 777 Partners ao Rio de Janeiro, e da definição do que poderia ser feito ou não na busca por reforços, o Vasco destravou as negociações e encaminhou a chegada de novos nomes para o elenco de Zé Ricardo. O atacante Erick, do Ypiranga, é aguardado no Rio depois das finais do Gauchão para realizar exames e assinar contrato, enquanto Carlos de Pena (do Dínamo de Kiev) e Zé Vitor (Marcílio Dias) estão por detalhes de terem suas transferências concluídas.

Erick e Zé Vitor fazem parte do plano antigo do clube de monitorar destaques dos estaduais. Erick tem cinco gols e é o artilheiro do Campeonato Gaúcho ao lado de Elias, do Grêmio; enquanto Zé marcou nove gols no Catarinense. A exceção é Carlos de Pena, que surgiu como uma oportunidade de mercado: ele fugiu da Ucrânia por conta da guerra e deve assinar um contrato curto até julho, mas prorrogável até dezembro.

A duas semanas da estreia na Série B, contra o Vila Nova no dia 9 de abril, o Vasco ainda busca pelo menos mais quatro reforços além do trio: um lateral-direito, dois zagueiros e um atacante. O ge apurou que não há conversas avançadas em nenhuma dessas outras tratativas. O clube tem até o dia 14 de abril para inscrever jogadores – depois disso, a janela só abre na segunda quinzena de julho.

Nesta segunda-feira, o Vasco anunciou Lucas Oliveira, mas a contratação do atacante formado no Bangu foi feita antes mesmo do fim a Taça Guanabara, ainda sem a participação da 777. Lucas vem treinando com o elenco há aproximadamente duas semanas.

A chegada do grupo americano, interessado em adquirir 70% das ações da futura Sociedade Anônima do Futebol do Vasco, deu mais moral ao clube no mercado, no sentido de poder pagar os salários em dia e da possibilidade de receber um grande aporte financeiro nos próximos meses, dois argumentos com os quais a diretoria vascaína não podia contar até pouco tempo atrás. “Aumentou a credibilidade do clube”, resumiu um dirigente.

Fonte: ge