Sob pressão e contestado, Ceni tem pior aproveitamento de um técnico no São Paulo desde Doriva

38

Treinador entra pressionado por uma vitória diante do Santo André, nesta quarta-feira, às 19h; desgaste já é percebido nos bastidores do CT da Barra Funda

São Paulo entra em campo nesta quarta-feira, às 19h (de Brasília), para enfrentar o Santo André, no Morumbi, para o seu quarto jogo na temporada. Mesmo com o baixo número de partidas disputadas, o técnico Rogério Ceni já enfrenta grande pressão no comando da equipe.

E não é apenas pelas duas derrotas e um empate acumulados nesta edição do Campeonato Paulista, mas também pelo retrospecto. Desde que foi contratado, no dia 13 de outubro de 2021, o treinador soma 16 jogos, com cinco vitórias, quatro empates e sete derrotas. Um aproveitamento de 39,6%.

Os números colocam Rogério Ceni como o treinador com pior desempenho desde Doriva, que assumiu o clube em sete partidas em 2015 e saiu com um aproveitamento de 33,3%.

De lá para cá, outros dez treinadores assumiram o comando da equipe – incluindo a outra passagem de Ceni, quando ganhou 49,5% dos pontos disputados (foram 14 vitórias, 13 empates e 10 derrotas). O melhor no período foi de Hernán Crespo, que em 2021 deixou a equipe com 57,2% de aproveitamento.

Aproveitamento dos treinadores do São Paulo desde 2015

Treinadores Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
Doriva 2 1 4 33,3%
Edgardo Bauza 18 13 17 46,5%
Ricardo Gomes 6 5 7 42,5%
Rogério Ceni 14 13 10 49,5%
Dorival Júnior 17 11 12 51,6%
Diego Aguirre 19 15 9 55,8%
André Jardine 7 2 9 40,35%
Vagner Mancini 3 4 2 48,1%
Cuca 9 10 7 47,4%
Fernando Diniz 34 20 20 54,9%
Hernán Crespo 24 19 10 57,2%
Rogério Ceni 5 4 7 39,6%