Sérgio Pires – Anselmo é o nome dos lulistas para o Governo de Rondônia com apoio de Pereira; e Avante fecha com reeleição de Marcos Rocha

40

ANSELMO É O NOME DOS LULISTAS AO GOVERNO DE RONDÔNIA, COM O APOIO DA LIDERANÇA DE  DANIEL PEREIRA, QUE DISPUTARÁ O SENADO

“Estamos construindo uma frente de apoio ao Lula em Rondônia”. A frase dita por uma liderança incontestável no Estado, o ex-governador Daniel Pereira, resume a atuação dos partidos de esquerda, que começam a conversar não só sobre a disputa pela Presidência, como também para apoiar Anselmo de Jesus, como nome viável na disputa ao Governo do Estado. A esquerda rondoniense vai se unir? A resposta é positiva, caso dependa de lideranças importantes como as de Daniel e Anselmo, ex-deputado federal de três mandatos.

Os dois se encontraram dias atrás, colocando em dia conversas não só sobre as relações pessoais, que reforçaram uma amizade de décadas, mas também sobre o futuro dos partidos que representam. Debateram também sobre outros aliados, em relação às eleições deste ano, tanto em nível estadual quanto federal.

Rondônia e o Brasil fizeram parte da longa conversa, acompanhada também por Cláudia de Jesus, filha do ex-deputado. Anselmo, aliás, deve ser o nome do PT para a disputa do Governo do Estado, em outubro. Daniel Pereira, presidente regional do Solidariedade, está ajudando a costurar uma parceria com outros partidos com a mesma ideologia, como o PT, o PC do B, o PSB, entre outros. Candidatíssimo à única vaga de Rondônia no Senado Federal, Daniel está dando outra contribuição das mais importantes aos seus aliados: ajudando a criar um Plano de Governo, para dar apoio ao grupo do qual é um dos líderes.

Com sua grande experiência na vida pública, que incluem mandatos bem sucedidos na Assembleia Legislativa, atuação como vice-governador e como governador do Estado, Daniel tem todas as credenciais não só para almejar sua candidatura ao Senado, como, ao menos tempo, ajudar o grupo de partidos a criar uma estrutura viável, para a corrida ao palácio Rio Madeira/CPA. Anselmo de Jesus, portanto, vem aí para a corrida ao Governo.

As conversações estão andando. Além de Daniel e Anselmo, a esquerda tem sim, em Rondônia, outras lideranças bastante viáveis. Uma deles é da ainda grande líder do PT, a ex-senadora Fátima Cleide, que pode entrar num pacote de candidatos, até para reforçar não só as possibilidades do grupo, como ainda figurar entre os que querem e tem cacife político apoiar o nome do ex-presidente Lula, na sua luta para voltar ao comando do País.

O PT ainda tem Ramon Cujuí como um nome com grande potencial. Ele já disputou outras eleições e, mesmo num momento em que a esquerda caía na preferência do eleitorado rondoniense, conseguiu votações bastante significativas.

O grupo terá, certamente, como vários outros, dificuldades de criar nominatas fortes para a Câmara Federal e Assembleia Legislativa, onde, aliás, nas duas Casas, atualmente não tem um só representante. Mesmo assim, é sempre bom lembrar que grupos que tenham personalidades da política rondoniense como Daniel Pereira e Anselmo de Jesus e vários outros representantes da esquerda, jamais podem ser subestimados.

NOME DO MÉDICO: SEGREDO TÃO PROTEGIDO QUANTO A ÁREA 51, AQUELA DOS ALIENÍGENAS

Há coisas que só no Brasil, mesmo! Um médico, aqui mesmo em Rondônia, conseguiu cinco empregos públicos, somando 176 horas semanais. Ora, qualquer um sabe fazer uma continha simples: uma semana tem 168 horas. Ou seja, o profissional com os múltiplos contratos teria que trabalhar mais de 25 horas por dia (???), para cumprir todos os seus compromissos. O caso foi detectado pelo Tribunal de Contas do Estado, que, diga-se de passagem, tem atuado sempre com muita competência em situações como essa. Para o TCE, os prejuízos causados aos cofres públicos bateu em mais de 1 milhão e 200 mil reais. Claro que o caso está andando, o médico terá todo o direito à sua defesa e tudo o que sempre se fala quando alguém é denunciado e antes da sua eventual condenação. O que há de diferente neste caso? Ah, isso é um mistério. O nome do profissional está mantido a sete chaves, inacessível, absolutamente escondido de tudo e de todos. Ninguém, nem um órgão, nem o sindicato da categoria, nem qualquer autoridade conta esse segredo de Estado. Até a segunda-feira, por exemplo, o nome do profissional era protegido mais do que o é a Área 51, aquela que se diz que os americanos escondem, para que não saibamos que já fomos visitados por alienígenas. Ah, se fosse um pobre coitado quem cometesse um delito desses! Já não estaria sob os holofotes?

GOVERNADOR GARANTE: NADA DE NOVO DECRETO QUE POSSA MUDAR AS DECISÕES VIGENTES DURANTE A PANDEMIA

“Não vai haver nenhum novo decreto!” A afirmação foi feita pelo governador Marcos Rocha, perguntado se, com a nova situação da pandemia, haveria alguma possibilidade do governo rondoniense lançar um novo decreto, com eventuais fechamentos em setores do comércio ou qualquer outra área. A frase de Rocha, replicada centenas de vezes por internautas, nas redes sociais, deixou muito clara as posição do governo rondoniense. Rocha destacou que todos os investimentos na luta contra o vírus continuam sendo feitos, que a Sesau atua em todo o Estado, levando atendimento à população e que o Estado, mesmo com todos os gastos nesta luta contra o Coronavírus, tem feito investimentos com recursos próprios. “Não fizemos nenhum empréstimo”, disse, destacando que é necessários cuidados, mas nada de fechar nada, porque, segundo destacada, “precisamos continuar e não podemos interromper esse processo de luta pelo crescimento do nosso Estado”. Na semana passada, algumas Fake News apareceram, afirmando que Rondônia iria fechar tudo novamente. Quem as espalhou, usou dados de um decreto de 2020, como se ele tivesse sido publicado agora. Tão logo essa versão fantasiosa replicou em alguns sites da mídia, sem a checagem da informação, o governo rondoniense emitiu nota, desmentindo tudo.

MAIS UM NOME DOS QUE NÃO TÊM CHANCE ALGUMA DE CHEGAR LÁ: AVANTE VEM COM NOME DESCONHECIDO 

A corrida política continua firme e os bastidores fervendo. Grandes partidos tentam encontrar saída para eleger seus representantes, enquanto os pequenos se arregimentam e também querem espaço. Afinal, são mais de 30 siglas aptas a disputarem a eleição de outubro. Os outros 760 que estão na lista de espera do TSE, querendo registro, ao menos neste ano, não poderão entrar na briga. Nesta semana, surgiu, de surpresa, mais um candidato à Presidência da República, do time que vai entrar na disputa só para marcar presença. Depois dos nomes mais conhecidos, como Bolsonaro, Lula, João Dória, Sérgio Moro e Ciro Gomes, não necessariamente nessa ordem, é claro, outro nanico lança seu candidato ao Planalto. O Avante, aqui no Estado comandado pelo deputado estadual Jair Montes e que terá chances de eleger ao menos um deputado federal (nele já estão o ex-prefeito de Ariquemes, Thiago Flores e o advogado Breno Mendes, de Porto velho e Wellison Nunes, de Nova Mamoré, por exemplo), oficializou a candidatura do pouco conhecido (embora tenha milhares de seguidores nas redes sociais), o deputado federal André Janones. Ele entra no time dos sem chance, mas com a missão de tornar a sigla mais conhecida. É do mesmo time de Felipe D´Ávila, do Partido Novo. Ou seja, entram só para participar.

PARA O GOVERNO, PARTIDO COMANDADO POR JAIR MONTES JÁ FECHOU COM A REELEIÇÃO DE MARCOS ROCHA

Em Rondônia, o Avante, que anda sonhando um pouco mais alto, além de tentar eleger um ou até dois deputados federais (conseguirá?), prioriza também a reeleição, na Assembleia, do seu presidente regional, Jair Montes. Com a decisão nacional de lançar candidatura própria, oficialmente, ao menos, a sigla terá que apoiar André Janones para a Presidência. Mas, é claro, na prática a teoria é outra…O partido, da base aliada de Bolsonaro, vai esperar um segundo turno para apoiar a reeleição do atual Presidente da República? Vamos ver na vida real como as coisas vão andar. Enquanto isso, em nível de governo do Estado, o partido já se definiu: está fechado com o governador Marcos Rocha. Rocha, aliás, está buscando criar uma espécie de federação de aliados e alguns avanços já são notórios nesta busca. Nomes como o presidente da Assembleia, Alex Redano, do Republicanos, quentíssimo para a reeleição, é uma das lideranças que estarão ao lado do atual governador. Como o quadro da sucessão não está claro e nem se sabe quem serão os candidatos, muitos parlamentares ainda estão esperando definições para só então entrarem no jogo da política estadual, tomando partido ao lado de um ou de outro candidato. Até agora, o nome de Marcos Rocha é o único colocado como candidatíssimo. Ivo Cassol terá sua situação decidida nesta quinta, dia 3, pelo STF; Marcos Rogério ainda está fechando acordos; Confúcio Moura não definiu se vai ou não e nem Léo Moraes.

RELAÇÃO DE NOMES PARA A CÂMARA FEDERAL CRESCE TODOS OS DIAS. PARTIDOS LUTAM POR CANDIDATURAS VIÁVEIS

Alguns nomes que já estão postos, embora nem todos até agora confirmados, para a corrida para a Câmara Federal, além de seis dos oito atuais donos das cadeiras da bancada federal (Jaqueline Cassol vai ao Senado e Léo Moraes quer o Governo): Lindomar Garçon, Luiz Cláudio da Agricultura, Jesualdo Pires, Evando Padovani, Thiago Flores, Chico Holanda, Bruno Scheid, Breno Mendes, Rosária Helena, Lucas Follador, Pedro Mancebo, Edvaldo Soares, Natan Donadon, Elias Rezende. É importante destacar que, ainda, surgirão muito mais candidaturas, tanto na Capital como no interior, querendo chegar ao Congresso Nacional. Essa relação é apenas uma pequena parte da definitiva, que deverá surgir lá por meados de abril. Dos atuais membros da nossa bancada, quem tem chances reais de reeleição, num contexto em que as coligações estão proibidas e qualquer aliança terá que ser formada através de uma federação que, obrigatoriamente, terá que durar quatro anos? Os nomes são fortes. Lúcio Mosquini, Mariana Carvalho, Silvia Cristina, Expedito Netto, Mauro Nazif e Coronel Chrisóstomo realizaram, no geral, um bom trabalho em benefício do Estado. Alguns se destacaram mais, outros menos. A guerra pelo voto já começou, embora não oficialmente, é claro.

RONDÔNIA PERDE SALES, UM POLÍTICO QUE FICA NA HISTÓRIA POR UMA LONGA VIDA DEDICADA À SUA TERRA

Rondônia perdeu mais um grande personagem da sua História mais recente. O ex-prefeito de Ariquemes e ex-deputado estadual Francisco Sales perdeu a guerra para o câncer e faleceu na madrugada da segunda-feira, aos 70 anos. Em Ariquemes, Sales era figura das mais queridas. Comandou a Prefeitura da cidade por duas ocasiões: em 1979, quando foi nomeado pelo então governador Jorge Teixeira. Em 1997, foi eleito pelo voto direto e teve um mandato bastante elogiado. Cumpriu dois mandatos na Assembleia Legislativa e teve três mandatos de deputado federal. Sales acabou sua vida entre aqueles políticos que não enriqueceram no poder. Aliás, no final da sua vida, precisou de apoio dos amigos e familiares, para cobrir as imensas despesas com o tratamento da terrível doença. Sales liderou muitos assentamentos na região, dando oportunidade de vida nova a milhares de migrantes que chegavam a Ariquemes e região. Rondônia perde mais um pioneiro e um personagem cuja atuação deve ficar para sempre na memória rondoniense. Durante toda a segunda-feira, por mensagens, pelas redes sociais, na mídia escrita e nas TVs, a morte de Sales foi destacada como um triste evento para todos.

DESMENTINDO A MENTIRA: LULA DIZ QUE NÃO VAI ÀS RUAS POR TEMER ATENTADO COMO O QUE BOLSONARO SOFREU

Jornalistas apaixonados pelo petismo, sempre que podem, colocam sob suspeita o atentado praticado pelo psolista Adélio Bispo (transformado em inimputável por um representante do Judiciário, infelizmente!) contra o então candidato à Presidência Jair Bolsonaro. Um livro foi escrito sobre isso. Um documentário feito com dinheiro de patrocinadores da esquerda, está até hoje nas redes sociais, “comprovando” que o atentado foi falso, que ele foi combinado, para eleger aquele que se tornou, meses depois, o Presidente Bolsonaro. A mentira, contudo, tem perna curta. De uma hora para outra, o atentado, agora sob nova versão, mudou completamente de cenário. A partir de gozações, críticas e postagens esculhambando com Lula, por sua ausência no meio do público, ao contrário do seu principal adversário, a quem os seguidores mais fanáticos chamam de Mito, por onde vai, o ex-presidente Lula desmente a mentira. Seguido por algumas das chamadas cabeças pensantes do PT e da esquerda, Lula está explicando que não tem medo de ir à rua por causa das vaias e os chamados constantes de ladrão que ouve, quando o faz. Para ele, o que existe é o temor de que seja vítima de um atentado, “como sofreu o Bolsonaro!”. Ora, agora a versão mudou? Já não é falsa a facada no Presidente? Ah, nada melhor do que um dia depois do outro.

PERGUNTINHAS

Você concorda com ambientalistas que garantem que todas estas mudanças no clima, incluindo os temporais com tantas mortes no Brasil, tem a ver com o aquecimento global ou considera que são fenômenos normais da natureza?