Saiba como aumentar nível de segurança em plataforma do governo para recuperar dinheiro esquecido

33
A descoberta de que tem direito a receber um dinheiro esquecido em algum banco levou muitos brasileiros a descobrir também que existem níveis diferentes de segurança no acesso à plataforma gov.br

A descoberta de que tem direito a receber um dinheiro esquecido em algum banco levou muitos brasileiros a descobrir também que existem níveis diferentes de segurança no acesso à plataforma gov.br.

Deu até briga entre mãe e filha. “Travou tudo, aí pronto, eu falei: ‘Você está com má vontade’”, diz Leila.

Desde segunda-feira (7), ela tenta fazer o cadastro no site do governo federal e descobrir quanto tem de dinheiro esquecido numa conta bancária, mas o celular dela é antigo.

“Ele não consegue fazer tudo que o site precisa”, diz a filha de Leila. “Quando eu comprei esse apartamento, eu abri uma poupança. Aí, depois que liquidei o apartamento, eu esqueci daquele cartão. Eu sei que tenho, mas não sei se é 10, 20, 30 reais. Não sei quanto é”, conta a mãe.

O APLICATIVO DO GOVERNO FEDERAL DIVIDE AS CONTAS EM TRÊS CATEGORIAS: OURO, PRATA E BRONZE. SOMENTE OS CIDADÃOS QUE TENHAM CONTAS OURO OU PRATA CONSEGUEM DESCOBRIR OS VALORES QUE TÊM A RECEBER. O OBJETIVO É EVITAR FRAUDES, MAS MUITA GENTE ESTÁ COM DIFICULDADE PARA ACESSAR.

“É necessário fazer uma identificação segura para ter certeza que o cidadão é ele mesmo quem ele diz ser e ele possa acessar os seus valores”, explica o diretor de Identidade Digital do Ministério da Economia, Luiz Miyadaira.

O padrão na plataforma é começar na categoria bronze. Pelo computador, o cidadão precisa acessar o site www.gov.br e digitar o CPF e a senha. É possível ver o seu nível indo em “Privacidade” e, depois, em “Selos de confiabilidade”.

Pelo aplicativo no celular, ao visualizar o quadro azul, onde está o nome, é preciso clicar em “Aumentar nível” e, em seguida, “Aumentar nível da conta”.

Há duas formas para progredir de nível: a primeira é a partir do reconhecimento facial, disponível apenas pelo aplicativo. Ou seja, o cidadão deve tirar uma foto que será comparada com imagens dos bancos de dados da Justiça Eleitoral ou do Departamento de Trânsito do seu estado, que estão nas carteiras de motorista.

Ministério da Economia também tem outra opção de validação, via internet banking, para quem tem conta em algum de sete bancos cadastrados.

É preciso ir onde está escrito “Cadastro via internet banking” e seguir o passo a passo da instituição selecionada. Depois de conseguir o nível prata ou ouro, é preciso retornar ao site do Banco Central e agendar um horário para saber seus valores.

Ao todo, 26 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas têm direito a receber algum dinheiro, mas o sogro do bombeiro militar Flávio deSousa preferia um jeito mais simples.

“O meu sogro tem 81 anos e não consegue acessar pelo celular e nem pelo facial. Se tiver um posto que eu possa levar o mesmo, seria interessante, porque a pessoa com idade não está conseguindo fazer nada”, diz.

O diretor de Identidade Digital do Ministério da Economia disse que nesse primeiro momento só é possível fazer a progressão de maneira virtual.

“Quanto mais pessoas a gente conseguir resolver pelo digital, melhor vai ser a experiência pelos demais canais. Num segundo momento, o Banco Central vai orientar as demais pessoas que, por ventura, não conseguirem e qual será o processo para elas”, afirma Luiz Miyadaira.

O Banco Central afirmou que vai tratar de situações específicas numa próxima fase, ainda sem data, e que não há risco de perda dos valores.