Porto Velho está entre as piores cidades em ranking de saneamento há oito anos, aponta estudo

63

Tabela foi divulgada nesta terça-feira (22) pelo Instituto Trata Brasil, data em que é celebrado o Dia Mundial da Água. Ranking avalia o acesso à água potável, coleta e tratamento de esgoto das 100 maiores cidades do país.

Apenas 32,9% da população tem acesso a água tratada em Porto Velho, aponta o estudo do Instituto Trata Brasil, divulgado nesta terça-feira (22), para celebrar o Dia Mundial da Água.

No ranking que avalia o acesso à água potável, coleta e tratamento de esgoto das 100 maiores cidades do país, Porto Velho ocupa a 99ª colocação. Além disso, o estudo também mostra que a capital de Rondônia:

  • atende apenas 5,16% da população com o serviço de coleta de esgoto;
  • teve o menor percentual de atendimento de água em 2020: 32,87%;
  • teve 0% do esgoto tratado;
  • teve 84,01% de perdas na distribuição de água;
  • deixa de faturar 82,09% da água produzida.

Porto Velho também foi uma das cidades com a menor porcentagem de atendimento com o abastecimento de água à população urbana, sendo de 36,05%.

Os dados são obtidos do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) divulgado pelo Ministério das Cidades, referentes ao ano de 2020.

Há oito anos entre os piores

 

Segundo o Instituto, nos últimos oito anos do ranking, Porto Velho sempre esteve nas piores colocações dentre as 100 maiores cidades do país:

Posição no Ranking nos últimos oito anos

Ano Posição no Raking
2015 100º
2016 99º
2017 97º
2018 100º
2019 100º
2020 99º
2021 99º
2022 99º

Ao g1, a presidente-executiva do Trata Brasil, Luana Pretto, explicou que, de forma geral, as piores cidades seguem estagnadas nas últimas posições.