BR-364 deve ficar interditada por mais dois dias devido à cheia de rio em Rondônia

63

Principal rodovia de Rondônia está bloqueada desde a quinta-feira (24), após o rio transbordar e alagar cerca de 500 metros de pista entre Ariquemes e Itapuã. Com fechamento da BR, Acre está isolado;

A interdição total da BR-364 chegou ao quarto dia neste domingo (27). O trecho entre Ariquemes (RO) e Itapuã do Oeste (RO) está fechado para passagem de veículos por causa do rio Jamari, que transbordou e alagou a pista na altura do KM 540.

Segundo a PRF, há cerca de 500 metros de alagamento de pista e o nível de profundidade da água chega a 1,60 m.

Para tentar liberar a passagem de veículos, funcionários do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) trabalham no local em um projeto de elevação de pistaEstão sendo colocadas toneladas de pedras no trecho da BR.

Máquina coloca pedras para elevar BR-364 após cheia do Jamari — Foto: PRF/Reprodução

Máquina coloca pedras para elevar BR-364 após cheia do Jamari — Foto: PRF/Reprodução

Na manhã deste domingo, a PRF informou que a rodovia deve seguir interditada por mais dois dias.

“Mais de 50 caçambas [do Dnit] estão transportando material para agilizar as obras. Se as obras continuarem nesse ritmo, terça-feira haverá liberação do fluxo”, diz a PRF.

Interdição total

 

A interdição da principal rodovia de Rondônia começou na quinta-feira (24), durante a tarde, mas desde a manhã de quinta, já havia uma lâmina d’água sobre a pista.

O ponto de alagamento da rodovia é no KM 540, perto do acesso para o município de Alto Paraíso.

Na sexta-feira (25), o Corpo de Bombeiros foi ao local de alagamento prestar apoio aos PRFs que estavam desde a quinta-feira do outro lado do local.

A equipe do Dnit chegou ao local ainda na sexta-feira e no sábado (27) iniciou a obra de elevação da rodovia com pedras.

A PRF afirma desconhecer rotas alternativas e não aconselha riscos desnecessários por estradas ou rodovias da região do Vale do Jamari.

Mais de 20 quilômetros de congestionamento se formou na região, principalmente de carretas. Com a interdição, o Acre fica isolado do resto do país por via terrestre.