Alta minutagem, poucos cartões e lucro em relação à venda de Natan: por que o Flamengo escolheu Fabrício Bruno

49

Jogador atuou em 57 das 69 partidas do Bragantino em 2021, totalizando 4.933 minutos; clube pagou R$ 15 milhões aos paulistas, que compraram Natan por R$ 27 milhões

Flamengo apresentou Fabrício Bruno como seu segundo reforço para 2022 nesta quarta-feira. Alta minutagem, poucos cartões, imposição física e um ganho financeiro em relação à venda de Natan ao mesmo Bragantino, consolidada no mês passado, foram alguns dos critérios adotados pelo comando do futebol para definir a contratação.

Quase cinco mil minutos jogados em 2021

 

Aniversariante do próximo sábado, Fabrício, que completará 26 anos, atingiu quase cinco mil minutos jogados na temporada passada – foram 4.933 de acordo com o site “O Gol”. Atuou em 57 das 69 partidas do Bragantino, sendo titular em 54. Nos confrontos em que iniciou, o zagueiro não foi substituído, ficando em campo sempre os 90 minutos.

A minutagem média nas duas temporadas em que defendeu o Bragantino, aliás, é de 3.321 minutos. Na última, porém, firmou-se como um dos capitães e das vozes ativas do elenco.

Além do tempo em campo, o departamento de análise do Flamengo levou em conta outros pontos interessantes. Fabrício Bruno foi o jogador com maior índice de lançamentos certos na Série A 2021, e Paulo Sousa já deixou claro em seus primeiros jogos que seus zagueiros farão uso desse expediente.

Ganho financeiro em relação à venda de Natan

 

Flamengo também valoriza o fato de ter pago R$ 15 milhões por 100% dos direitos econômicos de Fabrício, quantia bem inferior à investida pelo Bragantino para tirar o também zagueiro Natan do Ninho do Urubu – R$ 27 milhões por 70%.

Os outros 30% restantes de Natan são divididos entre Flamengo, Porto Vitória-ES e representantes do jogador. O clube rubro-negro tem 12% e direito a mais um percentual na próxima transferência por ser um dos clubes formadores.

Embora mais novo, Natan, de 21 anos, era reserva justamente de Fabrício Bruno. Já nesse início de 2022, Fabrício jogou os 90 minutos da quatro partidas do Bragantino pelo Campeonato Paulista, enquanto o ex-rubro-negro ficou no banco em todas.

Poucos cartões e vaga na seleção da Sul-Americana

 

O reforço rubro-negro também chamou atenção do Flamengo pela altura (1,92m), imposição física, velocidade e os poucos cartões que levou até então na carreira. Foram nove amarelos recebidos no ano passado e 25 no total em seis anos como profissional.

Fabrício foi expulso apenas uma vez, em agosto de 2020, durante derrota do Bragantino por 2 a 1 para o Coritiba, pela Série B. Na reta final da competição em questão que garantiu vaga cativa no time titular e não saiu mais. Na coletiva de apresentação ao Flamengo, opinou por que recebe poucos cartões.

– Não tem segredo, acho que é o meu estilo de jogo. Como tenho minha velocidade como ponto forte, confio muito nisso e na minha imposição física, muitas das vezes gosto do embate em velocidade por confiar em mim. Não sou desleal, a primeira expulsão da minha carreira foi em 2020. Então é o meu estilo de jogo, sou um cara firme, que tem intensidade alta, mas também sei separar as coisas. Não sou desleal, não sou de fazer falta e não sou de tomar muito cartão até por eu confiar muito na minha velocidade e na minha força física – disse Fabrício.

Já consolidado dentro do Bragantino em 2021, foi eleito para a seleção da Copa Sul-Americana, competição na qual a equipe paulista foi vice-campeão, perdendo a final para o Athletico-PR.

Com um 2021 animador e de destaque dentro de um clube com alto investimento porém camisa de menor peso, Fabrício tem a grande oportunidade da vida, como o próprio disse em sua apresentação.

– Esse desafio no Flamengo é maior da minha carreira, e estou preparado para ser campeão e contribuir.

Fonte: ge