O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) falou com exclusividade ao blog sobre seu futuro político. Candidato derrotado a prefeito de São Luís, Braide afirmou que, apesar dos incentivos para ser candidato a governador, pretende no próximo ano disputar o mandato de deputado federal.

O parlamentar disse ainda que pretende continuar no PMN, apesar das especulações de que poderia se filiar ao PSDB ou PR. “A não ser que seja aprovada uma reforma política que acabe os partidos menores. Aí seria obrigado a escolher um novo partido”, revelou.

Abaixo, a íntegra do diálogo com o deputado.

1 – O senhor declarou recentemente que o seu partido, PMN, será protagonista em 2018. Isso quer dizer que o partido terá candidato a governador e senador?

Quer dizer que o PMN está pronto para mostrar que o Maranhão pode ser muito melhor.

2 – O candidato a senador ou governador pode ser você?

O planejamento é ser candidato a deputado federal. Mas meu futuro político será decidido por Deus e pelo povo do Maranhão.

3 – Havia rumores de que o senhor sairia do PMN e se filiaria em outro partido. O PSDB e o PR foram cogitados. Há essa possibilidade de migrar para outra legenda?

Conversar é inerente à política, e fiz isso com membros do PSDB, PR e outros partidos sobre o futuro do Maranhão e cenários para 2018. Mas não tenho intenção de sair do PMN. A não ser que seja aprovada uma reforma política que acabe os partidos menores. Aí seria obrigado a escolher um novo partido.

4 – O senhor até pouco tempo era da base do governador Flávio Dino e o apoiou na eleição de 2014. Estará com ele novamente na eleição do próximo ano?

O PMN não esteve com o governador Flávio Dino em 2014. Na Assembleia, todos os bons projetos do governo do estado tiveram e terão o meu apoio. Mas não posso apoiar a continuidade de um governo que promove o fechamento de pequenas empresas; que aumenta impostos dos mais pobres em um momento de crise; que não cumpre o Estatuto do Magistério; que descumpre acordos com o funcionalismo público, como é o caso dos professores da UEMA; que promove perseguições a quem não é do seu campo político; e que só trabalha nos municípios em véspera de eleições.

5 – Caso o PMN não lance candidato na majoritária, o senhor irá apoiar o governador Flávio Dino ou o nome do grupo Sarney?

E o Maranhão não pode ter outra opção?


Fonte: Blog do John Cutrim